COMUNICADO

Tendo em conta o comunicado tornado público no passado dia 2 de janeiro pelo Secretariado do PS Estremoz, a propósito da perda de mandato do senhor Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, o MiETZ vem pelo presente manifestar o seu total repúdio pelo teor daquele comunicado.

Com efeito, o conteúdo daquele comunicado só demonstra o carácter do tipo de pessoas que atualmente estão à frente do PS Estremoz, face à forma como descaradamente tentam ludibriar os Estremocenses, através de um conjunto de argumentações contraditórias, a propósito da normal substituição de eleitos, prevista na legislação, aliás proposta e aprovada pelo próprio Partido Socialista na Assembleia da República.

Só podemos concluir que as pessoas que estão neste momento à frente do PS Estremoz têm memória curta, pois já não se recordam que em 1992 o senhor Presidente António Véstia da Silva abandonou o cargo e foi substituído pelo seu Vice-Presidente José Palmeiro da Costa, da mesma forma que não se recordam que, em 2015, António Costa renunciou ao mandato como Presidente da Câmara de Lisboa e foi substituído pelo seu Vice-Presidente, Fernando Medina. Em ambos os casos, tal como legalmente previsto e em respeito pela Democracia, não constando que o PS tenha à época reclamado a realização de eleições antecipadas.

Ao contrário daquilo que é referido pelo PS Estremoz no seu comunicado, os Estremocenses sabiam que existia a possibilidade de perda de mandato por parte de Luís Mourinha, tendo sempre sido dito durante a campanha eleitoral qual seria a solução se tal viesse a acontecer. Ainda assim, os Estremocenses votaram em consciência e deram ao MiETZ maioria absoluta para poder governar com a equipa que foi a sufrágio. Este movimento não se revê na linguagem do PS local, pois sempre defendeu que é devido a este tipo de postura que cada vez menos pessoas acreditam nos partidos políticos.

Assim, o MiETZ irá continuar a desenvolver o concelho de Estremoz, dando continuidade ao excelente trabalho que até aqui tem sido realizado pela equipa que gere os destinos do Município, em cumprimento do programa e do projeto que foi sufragado por todos os Estremocenses.